Tribunal Regional Federal da 1ª Região

início

Comunicação Social

Imprensa

Notícias

INSTITUCIONAL: “Gestão de Resíduos Domés...

Ir para Menu Ir para Conteúdo Ir para Busca Ir para Mapa Ir para Acessibilidade

Notícias

INSTITUCIONAL: “Gestão de Resíduos Domésticos: por onde começar?” é o tema da live promovida pela SJAP

08/06/21 08:00

INSTITUCIONAL: “Gestão de Resíduos Domésticos: por onde começar?” é o tema da live promovida pela SJAP

Para falar sobre a gestão de resíduos domésticos, a Seção Judiciária do Amapá (SJAP) realizou nessa segunda-feira, 7 de junho, uma live, por meio da ferramenta Teams, com servidores da seccional, em celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho.

O diretor da Secretaria Administrativa (Secad) da SJAP, Pablo da Rosa e Silva Alves, destacou a importância do evento para os servidores da Justiça Federal no Amapá. “A gestão de resíduos é de extrema importância para os impactos ambientais, principalmente para nós, que moramos perto de rios, de nascentes e de uma vegetação rica como é a da Amazônia. Temos que nos preocupar, de fato, com o meio ambiente que nos cerca”, afirmou Pablo.

A apresentação sobre o tema ficou a cargo de dois palestrantes: o professor do Centro de Ensino Superior do Amapá (Ceap), Géremy Carlos Freitas – graduado em Engenharia Ambiental e Sanitária e mestre em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) –, e a idealizadora do projeto Reciclista, Nicole Santos, que é graduanda em Engenharia Ambiental pela Universidade Estadual do Amapá.

O professor explicou que resíduos sólidos são todos os materiais, as substâncias, os objetos ou os bens descartados resultantes de atividades humanas em sociedade e podem ser classificados como: recicláveis, compostáveis, rejeito ou perigosos.

Para Géremy, a gestão dos resíduos orgânicos no Amapá é uma questão muito importante, especificamente na capital do estado, Macapá, que possui apenas um aterro sanitário e não tem serviço de coleta seletiva. De acordo com os dados apresentados pelo docente, 61% dos resíduos sólidos na capital do Amapá é composto por matéria orgânica, 15% é plástico, 11,7% é papel, 3,6% é metal e 6,4% são outros tipos de materiais.

Nicole Santos iniciou a sua fala enfatizando que a gestão dos resíduos começa em casa. “As pessoas consomem alimentação, produtos de limpeza, produto de higiene... Por aí, já podemos ter uma noção da quantidade de resíduos que serão gerados, pois todas essas coisas, incluindo os alimentos, vêm em embalagens plásticas, que normalmente não sabemos se podem ser reaproveitadas ou não”, explicou a graduanda.

De acordo com ela, a separação correta dos resíduos – como plástico, vidro, papel, e alimentos – na própria casa da pessoa facilita a reciclagem desses materiais. Quanto aos resíduos de vidro, ela orienta que esse tipo de material seja descartado dentro de garrafas Pet com o objetivo de proteger as pessoas que trabalham na coleta dos resíduos.

O descarte de óleo também foi objeto de alerta pela graduanda: “É um material que, mesmo em pouca quantidade, pode gerar um prejuízo enorme se descartado diretamente na natureza”.

Antes de encerrar o evento, os palestrantes falaram dos trabalhos que diversas ONGs desenvolvem no Amapá, realizando a coleta e a reciclagem de resíduos. Eles também responderam às dúvidas apresentadas pelos participantes.

LC/LS

Assessoria de Comunicação Social
Tribunal Regional Federal da 1ª Região  

Edifício Sede I: SAU/SUL Quadra 2, Bloco A, Praça dos Tribunais Superiores

CEP: 70070-900 Brasília/DF - Telefone: (61) 3314-5225

CNPJ: 03.658.507/0001-25